PLANTAS AQUÁTICAS – AS MAIS LINDAS

 PLANTAS AQUÁTICAS – AS MAIS LINDAS

 PLANTAS AQUÁTICAS – AS MAIS LINDAS

As plantas aquáticas são classificadas para fins paisagísticos, em  três grupos: flutuantes, emergentes e submersas.

Primeiro – As flutuantes não possuem qualquer fixação no solo, desenvolvendo sua atividade fisiológica na atmosfera e extraindo da água os elementos nutritivos de que necessitam. Elas permanecem na superfície e preferem águas calmas. Em lugares onde há ondas ou respingos, faça um recanto com pedras ou madeira para fornecer-lhes um ambiente mais propício.

Segundo – As emergentes fixam suas raízes no solo; suas folhas e caules, a princípio submersos, posteriormente emergem e ficam em contato com a atmosfera. Em geral, as folhas emersas aparecem modificadas e a floração é aérea.

Terceiro – Já as submersas nunca emergem da água. Fixam-se no solo e realizam a fotossíntese desprendendo o oxigênio vital para a respiração dos peixes, motivo pelo qual são muito usadas em aquários.

Entre as principais espécies de plantas aquáticas flutuantes está a Pistia Stratiotes, popularmente denominada erva-de-santa-luzia ou alface-d’água. O gênero Salvinia engloba cerca de uma dúzia de espécies, com folhas circulares ou ovais.

A maior espécie é a Salvinia auriculata, cujas folhas eretas se agrupam, ocultando os órgãos de reprodução e as raízes.

Do gênero Eichhornia, duas espécies são comuns no Brasil.

1 -E.azurea, cujo rizoma primeiramente se prende ao solo e depois se solta.

2 – E.crassipes, conhecida como aguapé, com folhas ovaladas ou em forma de coração.

Emite grupos de raízes formando novas touceiras que, mais tarde,  se soltam e flutuam.

As Eichhornia se desenvolvem rapidamente. Só alguns exemplares podem cobrir grandes superfícies, em pouco tempo, quando as águas são paradas. As flores roxo-claras aparecem em janeiro e fevereiro.

Conheça um pouco sobre elas

Dentre os gêneros das emergentes destacam-se:

Nymphaea – Apresenta muitas espécies, variedades e híbridos, que crescem nos lagos e baías de água doce ou pouco salobra. Apresentam flores nas cores branca, creme, amarela, azul, rosa ou vermelha. As espécies de ninféia caracterizam-se principalmente pelo horário em que desabrocham suas flores. Algumas se abrem durante três a sete dias consecutivos. Outras por apenas vinte a trinta minutos, em determinadas horas do dia.

Nelumbium – Essa planta é nativa do sudoeste da Ásia, onde era considerada símbolo da vida eterna. Popularmente denominada lótus, era conhecida também no Egito. Foi largamente cultivada nas margens do Rio Nilo, provavelmente como alimento, porque seus rizomas carnosos são comestíveis. Além disso, o  lótus possui grande número de variedades. Como resultado,  flores que variam do branco ao vermelho intenso . Finalmente, pode ser cultivado com facilidade em águas rasas e lodosas.

Victoria Regia – Originária da Amazônia, apresenta folhas que atingem dois metros de diâmetro. Com superfície lisa e página inferior espinhenta. A borda de suas folhas se levanta até 15 cm, dando-lhes  assim o formato de bandeja. Suas flores perfumadas alcançam mais de 30 cm de diâmetro. Desabrocham somente durante 2 noites consecutivas. Apresentando coloração branca na primeira noite e  conseqüentemente rósea na segunda.  Portanto, ela só pode ser cultivada em grandes extensões de água.

Curta a nossa página no facebook.

Envie seu comentário